Monthly Archives: Novembro 2015

Duplamente divertido

cartaz final

Foi ontem que inaugurou mas estará patente até 22 de Novembro na sede do Clube Português de Artes e Ideias a exposição Isto É Entretenimento, Isto É Divertido, cujo titulo é uma citação do refrão do tema This is Entertainment da banda industrial Cabaret Voltaire estabelece um diálogo entre dois artistas plásticos à volta do seu trabalho de prospecção arqueológica dos meios de comunicação de massas, envolvendo factores como o desejo, a propaganda, o desastre, a violência… E até há aqueles gamanços à lá Pop Art à BD!

Anúncios

Deixe um comentário

Filed under outros media

Quinta do Schrauwen

47baad634f7e410fbe459cc1e5116a01

O autor flamengo Olivier Schrauwen prepara-se para chegar ao Porto e aqui a malta de Lisboa rói-se de inveja! O que vale é que na Bedeteca de Lisboa há material seu! Para além d’O Espelho de Mogli chegou ontem (foi a Quinta-Feira das novidades na Bedeteca!) o primeiro volume da saga Arsène Schrauwen. Está redigido em castelhano porque é da Fulgencio Pimentel, a editora espanhola mais selecta do momento. Vale bem a pena pela sua ousadia gráfica mesmo quem ache que não perceba a língua dos nossos vizinhos. E recordamos que também há na Bedeteca um trabalho deste importante autor na antologia Hic Sunt Leones, uma antologia da editora Bries que compilou uma série de “novos leões” da BD flamenga. Que fixe que é o acervo da Bedeteca de Lisboa mas muito sinceramente o que gostaríamos MESMO era ir ao Porto!!!

Deixe um comentário

Filed under acervo da bedeteca, bd estrangeira

Pelo caminho

12196255_947910475245642_297418172910068591_n

links: Maria João WormEl PepMJW nas BLX

Deixe um comentário

Filed under ilustração

Stop the press! (7)

revista6-home

A revista Gerador é ligeirinha, direitinha e betinha – assim tipo “publicação gentrificada”… Só assim é que se podia lembrar de ter “Património” como tema para o seu último número que está agora nas bancas. Apesar de nos números antigos ter sempre umas páginas dedicadas à BD pouco haveria a comentar tirando um artigo sobre Francisco Sousa Lobo e uma BD de Tiago Baptista. Neste novo número de Outubro / Dezembro até “se excedem” nas páginas dedicadas à BD com uma de Susana Resende, um testemunho interessante escrito sobre como o divulgador Geraldes Lino começou a ler BD na sua vida (foi pelo Mosquito mas mais não revelamos!) e uma fotonovela em 3D (óculos incluídos na edição!!!) por Edgar Pêra – curiosamente, esta participação do realizador coincide com a sua recente colaboração com “CineKomics” no novo livro do sérvio Aleksandar Zograf.

Deixe um comentário

Filed under bd portuguesa, outros media, press center, referência

Pro-comic-zines?

PARADISE-LOST-A4-finalDe  tantos livros que saíram nos últimos tempos e especialmente na última BD Amadora, poucos chegaram ainda à Bedeteca de Lisboa, o que significa que a Câmara Municipal de Lisboa não acompanha a excitante manifestação da vitalidade do mercado da BD deste ano! Alguns editores e autores lá vão oferecendo exemplares como este Double Helix and other stories (imagem), cuja BD principal de género ficção científica (tipo Matrix) é escrita pelo inglês Al Ewing e desenhada Miguel Montenegro – o primeiro português a trabalhar para as grandes editoras norte-americanas de super-heróis. Segundo Montenegro que o edita trata-se de um “one-shot fanzine”, o que é um conceito estranho quando o que temos é uma publicação que se parece com um “comic-book” (revistas de BD norte-americanas) feita por dois autores profissionais de BD que trabalham para a Marvel e afins. Uma exploração do conceito para legitimar trabalho meramente comercial? Ignorância sobre a sua própria cultura? Afinal o termo “prozine” foi cunhado em 1940 por “Russ” Chauvenet para este tipo de publicação… whatever!

Outro “comic book” (ou “floppie” como dizem agora los gringos) que chegou à Bedeteca é o número 5 de Living Will em que Joana Afonso regressa ao desenho desta mini-série de 7 números escrita por André Oliveira. Não se auto-intitula de nada, o que é melhor assim…

Deixe um comentário

Filed under acervo da bedeteca, bd portuguesa

Costumavas ligar todas as noites

rudolfoSempre que o meu telemóvel tocava naquelas horas da noite já sabia que eras tu. Os telefonemas começaram a reduzir-se. Cada vez menos, até serem inexistentes ao ponto de já nem eu ter coragem de ligar. Nem sei se ainda sinto falta. As gavetas das recordações estão todas abertas. Está tudo espalhado pelo chão. Está na hora de arrumar isto para dar espaço para mais.

É com esta estranha “sinopse” que é divulgada a exposição de Rudolfo na Dama Aflita (Porto) a inaugurar dia 7 de Novembro… Rudolfo é um mestre de todos os ofícios e mais algum. Faz bonecos desde sempre, mas foi em 2007, quando tinha 16 anos, que começou a editar os seus fanzines de banda-desenhada que entretanto se viram misturados com toda a sua raiva emocional através dos seus discos carregados de Hate Beat e concertos cheios de espasmos, caos, fritaria e bastante rabetice… Do seu pequeno percurso hiperactivo contam-se uma série de fanzines próprios (ninguém quer saber de fanzines!), participação em várias antologias de banda desenhada da Chili Com Carne ou oriundas de outros países/continentes, ilustrações para aqui e para acolá (agora faz imenso lixo para a Vice) e também alguns discos em formato CD-R/MP3. No entanto, os seus feitos mais importantes podem ser reduzidos a uma lista: a criação e morte da antologia de banda-desenhada trimestral e internacional Lodaçal Comix, que foi editada entre 2011-2013 através do selo Ruru Comix; ter sido a primeira e talvez a única pessoa a ser expulsa do Milhões de Festa; ter criado o bootleg mais másculo de sempre daquele rato amarelo que dá choques (Musclechoo); e, mais recentemente, do seu trabalho contínuo a ilustrar Negative Dad, uma BD escrita pelo Nathan Williams (Wavves) e o seu amigo, Matt Barajas (Heavy Hawaii). Ah, também tem andado a fazer bimestralmente a sua nova revista de bd, Molly!

Não se sabe lá muito bem o que vai ser apresentado mas ficamos à espera de notícias!

Deixe um comentário

Filed under acontecimentos

Kleist Singer Cash Cave

diner_nickcave_by_reinhard-kleist

Numa parceria entre o Amadora BD e o Instituto Goethe, Reinhard Kleist estará em Portugal no Sábado, 7 de Novembro, no âmbito do lançamento da versão portuguesa do álbum O Pugilista, da exposição com o mesmo nome, no Fórum Luís de Camões, e da sessão de desenho ao vivo que realiza na Musicbox, ao som de um DJ set de Marla Singer com músicas de Nick Cave e Johnny Cash.

Bastante ligado ao universo musical, o autor alemão, que nasceu em Colónia (1970) e vive em Berlim, lançou em 2006, Johnny Cash – I see the Darkness, uma biografia gráfica do músico que foi um sucesso traduzido em 14 línguas e trabalha, neste momento, num livro onde retrata a vida e obra de Nick Cave.

O Pugilista, lançado pela Polvo, é um livro sobre um boxer judaico… Com uma vasta colecção de álbuns editados na Alemanha e outros países, Reinhard Kleist viaja bastante em trabalho. Passou um mês em Cuba, em 2008, onde desenvolveu um livro de desenhos de viagens, publicado nesse mesmo ano e traduzido em grego, chinês e coreano, publicou em 2010, um livro sobre Fidel Castro, também traduzido e editado em várias línguas. Outras viagens acontecem para realizar workshops, nomeadamente México, Brasil, Jordânia, Indonésia, China, Tailândia ou Canadá, em colaboração com o Goethe-Institut. Esteve também, em 2013, com a ARTE TV, num campo de refugiados, no norte do Iraque. No início deste ano lançou um álbum sobre a atleta da Somália, Samia Yusuf Oma, Der Traum von Olympia (Carlsen). (…) para além de autor de BD, trabalha como ilustrador de publicidade, revistas, animação ou CDs.

Deixe um comentário

Filed under acontecimentos, outros media