Negro

negro_jim

Jim del Monaco (de Simões e Louro)

A Internet é a nova África cheia de riquezas para explorar! Eis uma frase sintomática como se ainda olha para o “continente negro”, apenas como um local de oportunidades económicas, sem regras e falta de respeito humano. Mas isto veio a propósito de termos descoberto dois trabalhos universitários de interesse sobre a representação do negro na BD. O primeiro é A Imagem do Negro na Banda Desenhada do Estado Novo de Luís Manuel de Jesus Cunha para a Universidade do Minho, em 1994, existindo até um documento policopiado na Bedeteca de Lisboa! O segundo é A Estética e o Sentido: Modos de Representar o Negro na Banda Desenhada Portuguesa Contemporânea, pelo mesmo autor e Rosa Cabecinhas, de 2006, que é a a lógica continuação do primeiro trabalho.

Se é fácil apontar o dedo ao Tintin (embora os “bedófilos” continuem a rejeitar essa visão) talvez seja bom agora analisarmos o que se passa com a “nossa” BD, embora as BDs analisadas sejam ainda do “antigo regime”: José Ruy, José Garcês e Tozé Simões com Luís Louro

Deixe um comentário

Filed under acervo da bedeteca, referência

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s