Comics à pala

18238608_1462228827153654_5643138992864453969_o

Chegaram à Bedeteca de Lisboa uma série de “comic-books” que foram distribuídos gratuitamente no passado Sábado na Mundo Fantasma… Vai ser uma semana trashy e divertida de leitura esperamos nós!

Trashy sem dúvida que é, dada a quantidade de lixo da indústria norte-americana dos “comics”, em que só se encontra “Arte” nas publicações da Fantagraphics Books (com uma antologia intitulada World’s Greatest Cartoonists onde encontramos  Tommi Musturi, Simon Hanselmann, Dash Shaw,…), Drawn & Quarterly (dois “comics”, um deles com os fabulosos Moomins a cores!) e Z2.

Quanto ao “divertida” é estranho mas como ainda estamos a ler as revistinhas (a Bedeteca / BLX só permite levar cinco publicações à vez)  não temos bem a certeza disto mas parece que as BDs mais interessantes no espectro do entretenimento são justamente aquelas que são dirigidas a crianças ou miúdas. Estranho? Talvez porque no mundo das crianças / jovens haja menos complexos em ser extravagante ou há menos regras (recicladas) ao contrário do mundo dos super-heróis e aventuras para “bedófilos”. A criação parece ser menos complexada e menos estereotipada como são os casos de Bad Machinery de John Allison, Hilda de Luke Pearson, Spill night de Alex Puvilland ou Kid Savage de Joe Kelly e Ilya. Até a Barbie consegue ser melhor que a Wonder Woman ou as renovadas Betty & Veronica (da Archie Comics) batem a nova mega-saga da Marvel em que se descobre que o “Capitão Américo” afinal é um nazi – olha que novidade! Talvez os géneros de super-heróis e a ficção científica estejam envelhecidos e terem sido tão explorados e regurgitados que não podem surpreender mais, enquanto que o público feminino e dos muito jovens por terem sido ignorados ao longo de décadas passam agora por um momento especial…

transferir

Eis a capa deste cínico “comic”. Autoria da capa é de R.Sikoryak, baseada na de Jon Mayes para Famous Funnies #1 (1934), o primeiro “comic-book”.

Ainda nos falta ler muita coisa mas no Spongebob Freestyle Funnies, a personagem principal, parodia a iniciativa e acaba por nos dar razão. Citamos o seu cinismo que é pura realidade: No-Charge Funnybook Day (…) It’s the day all the graphic literature shops provide gratis samples of their wares in a pathetic effort to bolster an industry which has spent the last decades in a death spiral brought on by a lethal interaction between the lack of variety and a monopolistic distribution system! Tinha de ser um “desenho animado” a meter razão nisto! “Graphic literature shops”!? Obrigado Bob Esponja!

Anúncios

Deixe um comentário

Filed under acervo da bedeteca, bd estrangeira

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s