Monthly Archives: Novembro 2017

Quinta do Clima

RepEspecial-Capa

Na Quinta-Feira das Novidades na Bedeteca de Lisboa chegou o álbum de BD Reportagem Especial: Adaptação às alterações climáticas em Portugal de Bruno Pinto (a) e Penim Loureiro (d) publicado pela ClimAdaPT.Local, onde se encontra disponível para download gratuito.

Neste livro, podemos acompanhar uma jornalista e um repórter de imagem enquanto fazem uma reportagem de televisão sobre a adaptação às alterações climáticas em Portugal, focando também um projecto de adaptação a nível municipal (ClimAdaPT.Local). Neste percurso, cruzamo-nos com histórias e personagens reais, assistimos a conversas com especialistas no tema, conhecemos desafios postos pelas alterações climáticas e maneiras de lidarmos com eles.

Anúncios

Deixe um comentário

Filed under acervo da bedeteca, bd portuguesa, miúdos

A revista desenhada

24232225_1761940757152403_8195824284548744149_n

Já cá a referimos e sabemos que o número 10 encontra-se na Bedeteca de Lisboa… mas não poderiam fazer uma assinatura da revista? La Revue Dessinée é uma publicação francesa trimestral de reportagens em BD. No mais recente há BD-artigos sobre Jonathan Richman (curiosamente um músico já retratado por Aleksandar Zograf no saudoso fanzine Entulho Informativo), os podres da grande distribuição, a extinção dos animais,… E ainda oferecem:

Couv_RESIST-3

Sim, uma versão da Resist #2, revista de desenhadores contra o regime de Trump, onde se encontram trabalhos de Art Spiegelman e de Daniel Clowes entre outros. Por cá e em contrapartida, o jornal Expresso revela as suas garras de Fascista vendendo Bíblia em Acção, 750 páginas de BDs adaptadas à Bíblia num estilo “super-herói” por um bardamerdas italiano qualquer. Pá, se queriam publicar um tijolo de BD para não perderem o barco aqui ficam sugestões nossas:

  • BOTTOMLESS BELLY BUTTON de Dash Shaw, um tema que deveria tocar os leitores do Expresso: o divórcio entre um casal de cidadãos séniores… ops! não é um tema católico, raios!
  • LE JOURNAL de Fabrice Neaud… ops! É capaz de ser gay demais pró Expresso! Mas se calhar ajudaria muita gente da redacção e do público deste jornal envelhecido, não?
  • NONNONBA de Shigeru Mizuki, ops! Tarde demais, já foi publicado! Mas olhem, há sempre os quatro volumes do Showa! E o que não falta no espectro “manga” são calhamaços… E até com temas interessantes! Uau!
  • EPILÉPTICO de David B? Ops! Tem muito desenho esotérico…
  • Os três volumes de “Uma Vida na China”?

Pelos vistos, é mais complicado do que parece. O melhor é deixar o Expresso vender Bíblias em BD, assim até é mais fácil identificar o inimigo!

Deixe um comentário

Filed under acervo da bedeteca, bd estrangeira, press center

Eu, assino…

euassassinoChegou o álbum multi-premiado Eu, Assassino da autoria de Antonio Altarriba (a) e Keko (d). Altarriba é escritor, ensaísta e argumentista que obteve, em Espanha, o Prémio Nacional de BD em 2010 com A Arte de VoarKeko é um artista madrileno que deu os seus primeiros passos em revistas como Madriz ou Métal Hurlant sabendo criar um estilo próprio caracterizado por um traço conciso e o uso do negro para criar diferentes atmosferas.

Sinopse: Enrique Rodriguez é professor de História da Arte na Universidade do País Basco e, aos 53 anos, encontra-se no auge da sua carreira. Além de estar prestes a converter-se numa figura de destaque na sua área, e de ter de lidar com as consequentes rivalidades por parte dos seus colegas de profissão, cultiva uma estranha paixão à qual gostaria de se dedicar a tempo inteiro: o assassinato como forma de arte. Enrique aproveita convenções e compromissos académicos para cometer assassinatos motivados por fins estéticos. Cada um deles é uma obra de arte inspirada numa técnica específica que marca a sua impecável trajectória como artista.

Obra seleccionada para a Bedeteca Ideal.

3 comentários

Filed under acervo da bedeteca, bd estrangeira

Nonnonba

Nonnonba_capaUma grande notícia: a Devir vai publicar Nonnonba de Shigeru Mizuki! Na mesma colecção – Tsuru – onde reeditou ainda este ano O Homem Que Passeia de Jiro Taniguchi.

Diz a sinopse: Um relato baseado na infância do autor em que a avó (Nonnonba, personagem que dá título ao livro) lhe transmitiu algum do misticismo e temor em relação ao mundo dos espíritos, os yokai (entidades misteriosas e sobrenaturais da tradição medieval japonesa). Os ambientes fantásticos e as ilustrações pueris, valeram a Mizuki a sua reputação como contador de histórias.

Mizuki (1922-2015) nasceu em Osaka e passou a sua infância na prefeitura de Tottori. Adaptou várias obras a anime e escreveu romances de terror, livros sobre o fantástico no folclore japonês e uma enciclopédia dedicada aos monstros e espíritos presentes na sua obra. Kitaro é a sua personagem mais popular, que aparece pela primeira vez em 1959, em Yurei Kikka, e assume uma série própria, Ge-Ge-Ge No Kitaro, a partir de 1965.

Obra seleccionada para a Bedeteca Ideal.

Deixe um comentário

Filed under acervo da bedeteca, bd estrangeira

A Lolita de Portugal na Bedeteca

Cover_Zona_preview

Chegou um exemplar de Lisboa é Very Very Typical, antologia da Associação Chili Com Carne, uma espécie de continuação de Zona de Desconforto mas ao contrário, ou seja, desta vez os autores que relatam as suas experiências em estudar ou trabalhar num país estrangeiro são estrangeiros em Lisboa!

Assim sendo vamos encontrar trabalhos da croata Anica Govedarica, a brasileira Taís Koshino (do selo editorial Piqui), o espanhol Elias Taño (do fanzine Arròs Negre), Alejandro Levacov (Argentina), BNK TNK (Japão), Martina Manya (Espanha), a luso-franco-suiça Aude Barrio (do colectivo Hecatombe), Nicolae Negura (Roménia), Dileydi Florez (Colômbia), o grande mestre Alain Corbel (França) e o brasileiro Téo Pitella. A capa é da responsabilidade do Lars Henkel, autor alemão que chegou a participar numa Feira Laica.

Deixe um comentário

Filed under acervo da bedeteca, bd portuguesa

Orla

Orla-Press-Logo-Final-1

Depois da Sapata Press eis a Orla Press com objectivos idênticos: concebida enquanto projecto não-lucrativo, aberto quer a autorxs experientes, quer a completxs amadorxs, a OrlaPress assume-se como estrutura de experimentação com expressões que favoreçam linguagens e lógicas tendencialmente invisibilizadas ou subordinadas a favor dos interesses comerciais e ideológicos do paradigma editorial comum.

Constitiu-se por isso enquanto convite aberto a artistas, leitorxs e curiosxs para a partilha e diálogo em torno de webcomics gratuitamente distribuídos, que provoquem – quer mais, quer menos menos explicitamente – as expectativas normativas do que um comic é e faz, permitindo a articulação de outros afectos e lutas, outras pautas e perspectivas, outras identidades e horizontes.

OrlaPress assume-se enquanto projecto feminista, anti-transfóbico e anti-queerfóbico, anti-racista e anti-colonial, anti-capacitista e anti-sanista, anti-hierárquico e anti-normativo.

Procura demarcar-se da primazia de homens euro-americanos brancos, cisgénero e heterossexuais e/ ou materialmente privilegiados no mundo da banda desenhada mais visível, e deseja vir a ser um possível cenário para uma outra multiplicidade de sujeitos, de imaginários, de experiências e de fantasias, de modo a contribuir generativamente para um universo editorial mais plural, mais politicamente responsável e mais poeticamente potente. 

(…) Em breve, será lançada a Vaga #1 de webcomics da OrlaPress – uma selecção dispersa, livre, suja, sweet, triste, tola e generosa de trabalhos de BD de diferentes tipos e em diferentes estilos, que partilham em comum  estarem mais ou menos ao lado das expectativas impostas do que a banda desenhada pode – e deve – fazer em termos do que é, e em termos de por quem e para quem é feita.

Deixe um comentário

Filed under concursos, e-comix

Quinta da Ilustração

2016_ilustpt_1_1000.jpgSerá provocação? A capa da Ilustração Portuguesa 2016 é cinzenta com apenas o título do evento impresso a preto, mai’nada… Tanto discurso sobre a ilustração e depois o catálogo-anuário e o evento mais importante da área faz disto? Ai ai… Ainda assim eis uma fantástica e verdadeira arma de arremesso ao olho que chegou nesta Quinta-Feira das Novidades na Bedeteca de Lisboa.

Para quem perdeu o perspectiva histórica é de consultar estes outros tijolos!

Entretanto topamos que também apareceu pela Bedeteca o catálogo do evento – É preciso fazer um desenho? – desse mesmo ano, de onde se destaca no meio de uma programação extensa e rica, a recuperação da obra de Luís Filipe Abreu (ver bibliografia BLX aqui) e do cartunista João Martins.

Deixe um comentário

Filed under acervo da bedeteca, cartoon, concursos, ilustração, referência