Category Archives: bd estrangeira

StripMagma

Strapazin 130, magazine

Chegou à Bedeteca de Lisboa, oferta de Pedro Moura, um número da revista suiça Strapazin. Como o mesmo explica: No último Abril [do ano passado], o Festival Internacional de Banda Desenhada Fumetto, em Lucerna, Suíça, apresentou como exposição central o projecto Magma. Trata-se de uma colaboração à distância entre um grupo de autores suíços, que conta, por um lado, com Fanny Vaucher, Corinne Odermatt, o colectivo Ampel, e a artista Anete Melece, da Lituânia, e por outro com uma “embaixada do Brasil”, agregando Fábio Zimbres, Diego Gerlach, Rafael Coutinho e a artista visual Talita Hoffman. Ainda que nenhum destes grupos participasse como um “bloco nacional”, mas bem pelo contrário como artistas altamente idiossincráticos, inclusive no seu entendimento formal e estético do que pode ser entendido como “quadrinhos”, o projecto foi elaborado através de um contacto directo.

Os artistas trocaram uma série de impressões, ideias e imagens (“trocar cromos” é um pensamento que nos ocorreu de imediato), que serviria para que houvesse uma rede de comunicação e possível influência mútua. Através desse trabalho de bastidores, os artistas desenvolveram trabalhos originais, alguns mais próximos do material trocado do que outros, uns investigando mais profundamente questões de identidade ou de potencialidades artísticas do que outros mas sem dúvida que em resposta a esse contacto. Esta é uma das dimensões interessantes do Fumetto, que como que encomenda trabalhos originais e imediatamente associadas a essa mesma circunstância. (…) Tivemos o grato prazer de sermos convidados a observar o trabalho de troca de comunicações entre os artistas e a génese e desenvolvimento de alguns trabalhos, com o intuito de escrevermos um ensaio associado à acção. Os resultados podem ser vistos e lidos em alemão e português (o nosso texto foi escrito sob a norma do Brasil), aqui.

Anúncios

Deixe um comentário

Filed under acervo da bedeteca, bd estrangeira, zines

Corto reeditado com arte!

CORTO_MALTESE_SEMPRE_UM_POUCO_MAIS_LONGE

Não ficaram pela A Balada do Mar Salgado (tal como não ficaram pela bosta 1 já houve bosta 2) e a Bedeteca de Lisboa recebeu Sempre um pouco mais longe de Hugo Pratt (1928-95). Edição a preto e branco! Excelente!

Sinopse: Corto Maltese alarga o seu périplo tropical à selva sul e centro-americana e às ilhas caribenhas. Vudu e política, golpes e repúblicas de bananas, escravatura, mulheres belas e misteriosas, a duradoura miragem do Eldorado, são alguns dos cenários e dos meandros das aventuras deste herói singular, independente e livre, imbuído de um certeiro instinto de justiça. Na extraordinária elegia que é A Lagoa dos Bons Sonhos, o fim próximo da I Guerra Mundial é pretexto para uma meditação melancólica sobre os sonhos de glória.

Deixe um comentário

Filed under acervo da bedeteca, bd estrangeira, referência

Komikaze na Bedeteca de Lisboa

2018_KOMIKAZE-17-KORICE-VANJSKE

Já chegou o 17º volume da antologia croata Komikaze onde se publica dois autores portugueses nas suas páginas: Bruno Borges e Rui Moura. Isto não é nada de inédito uma vez que tem havido uma participação constante de autores nacionais por estas bandas.

Este colectivo dos Balcãs passou por Portugal há dois anos, nomeadamente pela Feira Morta (na ZDB) e na Oficina Arara (Porto) e deixou na Bedeteca de Lisboa uma colecção quase completa da sua publicação. A Komikaze merece estar ao lado de outras antologias importantes neste milénio no terreno europeu como a finlandesa Glömp e a italiana Canicola, foi-se mostrando timidamente longe do psicadelismo finlandês ou do abrasivo preto e branco italiano. Passado alguns volumes impôs um estilo próprio balcânico que une croatas e sérvios. Em que consiste esse estilo? Tematicamente consiste em ataques aos costumes sociais, misturados com algum surrealismo e um humor tão bruto como negro, sendo os desenhos e grafismos propostos também eles negros e brutos. Há sujidade, colagens, desenhos naifs e técnicas de pintura. Por alguma razão os franceses (irmãos Guedin ou Craoman) ou a sueca Anna Ehlemark já se tornaram em colaboradores regulares…

4 comentários

Filed under acervo da bedeteca, bd estrangeira, bd portuguesa, zines

A leitura dominical

juizdreddapresenta_aleidecanon_coverbg

Lá para trás, entre 2014 e 2016, houve distribuição da revista britânica 2000 AD / Judge Dredd nas bancas portuguesas, e até d’A Lei de Canon, um número especial com histórias da série Canon Fodder (LOL!) criada em 1993 nas páginas da 2000 AD inglesa, com argumento de Mark Millar e desenho de Chris Weston.

A primeira história foi popular entre os leitores mas Millar mudou o seu foco de atenção para a indústria norte-americana de “comics” e coube a Kek-W o argumento da segunda BD publicada em 1995. Devido a uma disputa de direitos autorais sobre a personagem entre Millar e a editora, esta segunda incursão foi o ponto final da série, verdadeira macacada trash divertida para quem amanhã irá à missa da manhã e precisa de “descarregar”. Basta ler a sinopse para perceber isso:  O Dia do Juízo Final chegou e Deus não apareceu. Os mortos ressuscitaram na Terra e o crime atingiu limites estratosféricos. Para enfrentar o desarranjo, a Igreja e a polícia se juntam e criam uma força implacável: a Patrulha Paroquial, liderada por Canon Law! Num cenário tão conturbado, os criminosos se tornam apenas pecadores a serem sumariamente eliminados. E é então que, em meio ao caos, Sherlock Holmes, Sigmund Freud, Albert Einstein, Júlio Verne e muitas outras mentes brilhantes se reúnem na tentativa de descobrir o que realmente aconteceu com o Criador.

Amanhã vai ser um bom Domingo porque este “especial” apareceu na Bedeteca de Lisboa, podendo ser requisitado para ser lido em casa num sofá herege!

Deixe um comentário

Filed under bd estrangeira, mercado, press center, silly season

Quinta do Bug II

148dcd3ba73348bfb5540bd2dd8740a7Não confundir com estes outros, eis que nesta Quinta-Feira das Novidades na Bedeteca de Lisboa apareceu mais uma cagada, desculpem, caçada do Bilal.

O gajo tem questões como as ZAD em França e fica muito preocupado com o “bug” (que prometia arrasar tudo no século passado) poder limpar a Internet e passarmos ao Caos (ele chama de Anarquia, o homem é mesmo xéxé) por causa da nossa dependência total no digital. Iá, é tão extravagante que é giro!

Deixe um comentário

Filed under acervo da bedeteca, bd estrangeira

A Renata dá notícias

16807389_1398004853578066_9068304348961367289_nRenate Comics é uma Bedeteca em Berlim, fundada pelos autores Atak, CX Huth, Peter A. Bauer e H. Lauem 1989. É uma associação privada que existe algures no Mitte, que empresta livros com cartões de controlo à moda antiga, vende zines e edita também anualmente uma revista com novos autores.

A Bedeteca de Lisboa pelos vistos vai recebendo a revista como este novo número 23 com o tema “teoria das conpirações” (pelo o que entendemos no nosso pobre alemão) como sempre com as participações de novos autores ou o fenómeno berlinense Nettman.

Deixe um comentário

Filed under acervo da bedeteca, bd estrangeira, zines

1001 Banda Desenhadas que tens de ler antes de morrer (Pré-anos 30)

P_20190531_162916_vHDR_Auto

A Bedeteca de Lisboa vai fazer de quinze em quinze dias um novo destaque bibliográfico até ao final do ano baseado em 1001 Comics You Must Read Before You Die. Dizem: (…) Coordenado pelo investigador inglês Paul Gravett – que visitou a Bedeteca de Lisboa em 1998 – trata-se de uma listagem que identifica as melhores Bandas Desenhadas do mundo, dividindo-as ao longo das décadas. Um trabalho hercúleo que obteve a ajuda de vários especialistas espalhados pelo mundo, incluindo dois portugueses, Domingos Isabelinho e Pedro Moura.

Este exercício de mostrar as 1001 obras sugeridas por este guia, revela as fragilidades e as forças do acervo da Bedeteca de Lisboa, sendo impossível mostrá-las todas porque algumas estão esgotadas há décadas, ou porque não existe edição portuguesa ou em línguas mais acessíveis para o nosso público. Ou porque pura e simplesmente não as temos…

P_20190531_162925_vHDR_Auto

Começamos pela produção anterior à década de 30 do século XX. É impossível mostrar tudo o que é aconselhado, assumimos esse carácter incompleto e propomos outras edições complementares, como Dot & Dash de Cliff Sterrett (1883-1964), um “topper” [i] da recomendada série Polly and Her Pals (1912), publicado numa bela edição da Libri Impressi. Como no passado a Bedeteca de Lisboa também criou bibliografia, também fazemos sugestões alternativas:

– O catálogo da exposição A Banda Desenhada Norte-Americana Antes do Yellow Kid (Bedeteca de Lisboa, 1996) comissariada por Carlos Bandeiras Pinheiro, que destrói o mito cerimonial da criação da BD através da série Yellow Kid (1896) de Richard F. Outcault (1863-1928);

Apontamentos sobre a picaresca viagem do Imperador de Rasilb pela Europa (1872; reed.: Bedeteca de Lisboa, 1996) de Raphael Bordallo Pinheiro (1816-1905) que é considerada a primeira BD portuguesa;

No Lazareto (Empreza Literária Luso-Brazileira, 1881 – reed.: Frenesi, 2003) também de Pinheiro, é das primeiras obras autobiográficas na BD, um documento sobre a quarentena de quem vinha dos trópicos, denunciador da burocracia e corrupção latina e graficamente hilariante como só RBP sabia fazer.

[i] Uma BD no topo de outra mais importante na página dominical do jornal norte-americano

Deixe um comentário

Filed under acervo da bedeteca, bd estrangeira, bd portuguesa, referência