Category Archives: cinema de animação

Filminhos em Setembro

A Zero em Comportamento continua a passar as suas sessões de cinema da crianças intituladas Filminhos Infantis à Solta pelo País pela Biblioteca dos Olivais. A quinta sessão está programada para 22 de Setembro, Sábado, às 14h45, proporcionando deste modo uma oferta diferente não só à população local, mas também a todos de fora que pretendam usufruir deste maravilhoso espaço.

Anúncios

Deixe um comentário

Filed under cinema de animação, miúdos

Dos anos 70 à actualidade e Vice-Versa

40255944_1974898329220032_4547227205083594752_n

AMANHÃ, às 17h inaugura na galeria da Mundo Fantasma, uma exposição de Nuno Amorim. Mais tarde é mostrado no Passos Manuel uma sessão de exibição dos filmes de animação do autor.

Escreveram o seguinte sobre o autor: Daniel Clowes num suplemento do Eightball #18 (Mar’97) intitulado “Modern Cartoonist” ironizava – penso eu, com os gringos nunca se sabe! – num texto sobre BD que de 15 em 15 anos há um novo fôlego na cena. Basicamente, é preciso que apareça uma nova geração que apreenda e aplique as revoluções realizadas pela geração anterior. Não haveria a “BD Alternativa” dos anos 90 se 15 anos antes não houvesse a “underground comix” e estes não existiriam sem a EC Comics e a revista Mad dos anos 50. Tudo bem, parece justo.

Na edição de 31 de Janeiro de 1973 do jornal &etcNuno Amorim (com uns 21 anitos), já trabalhava para o mundo editorial mais sofisticado em Portugal – as Edições Afrodite e a &etc – e num artigo sobre a sua pessoa admite a admiração por Moscoso. Mais tarde, numa situação tão rara como a de 1973 – ou seja, dar tempo de antena a um ilustrador – é entrevistado no livro Editor Contra – Fernando Ribeiro de Mello e a Afrodite (Montag; 2016) e assume mais uma vez as suas influências dos anos 70 – Moebius e Caza, são os autores referidos.

Seja em 1973 seja 2016, os nomes dos autores que ele refere pouco importarão para o público. O estatuto marginal da BD permanece inalterado ao longo destas décadas todas e Amorim, como muitos outros artistas da sua geração e posteriores, “brincou” à BD. Publicou alguns trabalhos, principalmente na seminal revista Visão (1975-76) mas também alguns fanzines e nas publicações das míticas editoras acima já referidas. Como nunca houve uma estrutura económica de subsistência na BD em Portugal, ele parou de fazer BD e foi para outros poisos. Arquitecto de formação, foi director de arte em varias agências de publicidade internacionais em Lisboa, e posteriormente integrou os quadros da RTP, onde foi designer gráfico, realizador e responsável pelo departamento gráfico. Em 1991 foi co-fundador da produtora de cinema de animação Animais, onde é realizador e produtor de curtas metragens e séries de animação. Trabalhou e continua a trabalhar em imagem, área criativa pouco apreciada em Portugal. Um trabalho sujo mas que alguém tem de o fazer! 

A sua criação de BD ficou fechada na década de 70 com os pesos telúricos das influências da altura. Amorim e a malta da Visão tiveram quase todos o mesmo destino. Partiram para outra e foram esquecidos. Um caso ou outro voltou à BD, um ou outro ainda fizeram alguma obra em BD. Como profetizava Clowes, 15 anos depois aparecia uma nova geração de autores a baralhar as cartas – ligados aos zines e às revistas Lx Comics e Quadrado. Mas ao contrário que dizia Clowes, não parece que essa nova geração e as futuras tenham apreendido algo da anterior ou a tomado por base.

A verdade é que em Portugal apesar das suas inúmeras Bedetecas ou livros de História, os autores de BD não ligam ao passado. Empanturrados de hiper-realidade com tons de néon, mutações afrofuturistas, glitches cyberpunks, erotismo digital, risografia a brilhar pós-fluorescência, rocócós bling bling basta reeditar as BDs dos anos 70 como fiz com a antologia Revisão : Bandas Desenhadas dos anos 70 (Chili Com Carne; 2016) que lhes cai tudo em cima! Pá! Afinal os cotas já tinham feito cenas mamadas, meu! 

Se esta, tão apropriada, exposição na Mundo Fantasma se realizar com o títuloDos anos 70 à actualidade e Vice-Versa, a Fita de Moebius completa-se. Se a Mundo Fantasma editar a BD inédita “Stoned” nas suas exemplares publicações impressas em Risografia então a Fita de Moebius, ironicamente, estreita-se. – Marcos Farrajota

Deixe um comentário

Filed under acontecimentos, cinema de animação

Homenagem a Artur Correia

img_818x455$2018_03_02_10_10_37_714628

Amanhã, haverá em Moura uma sessão de homenagem a Artur Correia recentemente falecidoJá fazendo parte dessa homenagem, foi inaugurada a 15 de Abril uma exposição com pranchas originais e reproduções de obras de BD na edição do corrente ano de 2018 da Feira do Livro de Moura. Nessa exposição estão incluídas imagens inéditas de adaptações à banda desenhada dos poemas populares Donzela Que Vai à Guerra e A Nau Catrineta, que acabam de ser publicadas no nº10 do fanzine Cadernos Moura BD com distribuição marcada para o dia da homenagem, Sábado, pelas 16h30.

Deixe um comentário

Filed under bd portuguesa, cinema de animação, obituário, zines

Monstrinha pronta para marcações

8b361049-c577-4fe6-a0ba-fbe5a054b78b

+ infos aqui

Deixe um comentário

Filed under cinema de animação, miúdos

Quinta de Aventuras

capa_HA2

Nesta Quinta-Feira das Novidades, a Bedeteca de Lisboa recebeu três volumes de Adventure Time: Hora de Aventuras, a melhor BD para crianças do momento. Editado em Portugal pela Devir que continua a dar-lhe para os mais novos – os mais novinhos mesmo! E ainda bem que já havia muitos pais como nós que não tinham alternativas aos “patinhas”! Os volumes reúnem as bandas desenhadas dos “comic-books” norte-americanos pela Boom! Studios, com histórias de Ryan North e desenhadas por Braden Lamb, Mike Holmes e Shelli Paroline. Para além de incluir uma galeria de capas das revistas originais com desenhos de Michael DeForge (publicado em Portugal pela Lodaçal Comix), Jeffrey Brown, James Kochalka, Paul Pope, Lilli Carré entre outros…

Esta adaptação da série de sucesso do Cartoon Netwoork: Hora de Aventuras, ocupa o 2.º lugar no share do canal em Portugal, com um público essencialmente jovem (idade a partir de 8 anos), tendo conquistado também os adultos, é uma obra seleccionada para a Bedeteca Ideal.

PS – Entretanto topamos que existe na Bedeteca O Incrível Mundo de Gumball que também segue a mesma linha de humor inteligente de Hora de Aventuras. Fixe!

Deixe um comentário

Filed under acervo da bedeteca, bd estrangeira, cinema de animação, miúdos

Natalixo Feliz e Animado

25152057_1517630128357323_4179369557509622844_n

Mariana Pita é o Lixo Feliz que promove um workshop de cinema de animação para crianças nos Anjos 70. Hoje e amanhã!!!!

Deixe um comentário

Filed under cinema de animação, formação, miúdos

It’s not even funny…

mw-860

Mais uma hecatombe cultural: a Disney comprou a 21th Century Fox (tal como os Simpsons “previram” há 19 anos atrás). Há nove anos atrás compraram a Marvel, por este andar, prevemos que se alguém ver algo que não seja Disney no futuro será preso por desobediência civil…

Deixe um comentário

Filed under cinema de animação, mercado