Category Archives: outros media

Estrela Decadente talvez até Julho!

27858593_1994570144202869_7171462215659446465_n

A única coisa realmente importante dessa capital prostituída chamada Lisboa vai acabar! As noites da Estrela Decadente, agora num segundo ciclo de programação intitulada de Assalto ao Banco, no espaço O Banco, tem os dias contados até ao final do mês de Julho!

Todas as Quintas-Feiras lançam um fanzine (já vai no número 52!) com a BD mais ousada em Portugal. Descomprometida, boémia e avacalhada sem deixar de ser artsy-fartsy (coisa que os seus colaboradores não poderão negar por mais que queiram) será um caso único de energia criativa vindo de autores como o Gonçalo Duarte, Sar (organizador da Feira Morta), Simão Simões e Xavier Almeida, que criaram este projecto no verdadeiro espírito do ideal colectivo.  Para além disso há performances, concertos e DJing com o mítico Xico da Ladra.

Infelizmente acabou há duas semanas a exposição mutante “Bienal de Arte Burra”, que inclui originais de BD degenerada. Sente-se que se está a chegar perto do fim. Lisboa pode arder toda desde que se safe este sítio!

Anúncios

Deixe um comentário

Filed under acontecimentos, bd portuguesa, outros media, zines

Loba oba!

36684839_1737029949750672_3328648960624558080_n

Nova oficina de serigrafia! A Loba! Sabemos que o Gonçalo Duarte está lá metido, boa! Boa loba! Oba!

Deixe um comentário

Filed under acontecimentos, outros media

O 4’33” do 48cc

bandeau-780x290

Ilan Manouach volta com um livro conceptual, sempre pela 5éme Couche. Desta vez é Blanco, um álbum típico da produção franco-belga com nada impresso, branco mais branco não há, uma ode ao génio da estandardização. Excepcionalmente a editora colocou o PDF deste livro grátis para todos interessados.

Deixe um comentário

Filed under bd estrangeira, outros media

Inquérito

2018_expo_retrato_800x450

Inaugurou ontem no Museu Nacional de Arte Antiga a exposição Inquérito ao Retrato Português, que parte sobre a premissa deste nosso tempo de fluxo incessante de produção e circulação de retratos fotográficos e fílmicos, numa sociedade organizada em redor da imagem mas que, paradoxalmente, a destrói, pelo excesso, é fundamental interrogar a vida das imagens e, em particular, qual o papel do retrato na nossa cultura. Retomando, como homenagem, o título de um diálogo sobre a pintura retratística de Francisco de Holanda (Lisboa, 1517-1585), Do Tirar Polo Natural, a exposição não pretende ser uma mera antologia dos melhores retratos portugueses, nem uma tentativa identitária de retratar Portugal através dos seus rostos. Procura, antes, reflectir sobre o que é um retrato e o que ele pode, de que impulso surge e quais os seus limites.

Cruzando obras de épocas muito diferentes, apresentamos o retrato em redor de três categorias paradigmáticas: como dispositivo afectivo, como formador da identidade pessoal e como estratégia do poder. 

Patente até 30 de Setembro, poderá encontrar pelo menos duas curiosidades, um quadro de Tiago Baptista – autor de BD e artista – e outro de Arlindo Silva, colaborador das publicações d’Os Gajos da Mula, que retrata a dupla Sara & André.

Deixe um comentário

Filed under outros media

O Ontem morreu hoje, o hoje morre AMANHÃ

_eventos_5a81ccee8e6f6_8_1

Belo título desta exposição que abre AMANHàna Galeria Municipal do Porto, que estará patente até 19 de Agosto, e onde poderão ser vistos trabalhos de João Alves, Mauro Cerqueira, Raymond Pettibon (capas de Black Flag e Sonic Youth!!!), Rudolfo entre outros artistas… A Galeria convidou a artista Carla Filipe a desenvolver um projecto que se debruçasse sobre as práticas sociais em nightclubs, enquanto espaços de fuga às possíveis falências de sistemas sociais diurnos. (…) Associada ao ambiente nocturno – meio em que Carla Filipe se movimentou com uma participação activa como artista plástica na criação de posters e imagens alusivos à programação de eventos de música electrónica e DJ set – esta exposição (…) contará com uma selecção de artistas locais e internacionais que se enquadram nesta convergência música/ imagem mas cujo corpo de trabalho mantém um carácter autónomo enquanto criação plástica, reflectindo a relação do particular com o plural (do indivíduo com a comunidade), e evocando pelo caminho a história da arte e a sua ligação à música através de um conjunto de referências autorais.

Deixe um comentário

Filed under acontecimentos, ilustração, outros media

Ao Coração das Trevas

filmeminhavida-home

Já chegou à Bedeteca de Lisboa o 21º livro da colecção de BD O Filme da Minha Vida, intitulado Ao Coração das Trevas, de autoria de André Coelho a partir do filme Apocalypse Now, de Francis Ford Coppola, que foi lançado este mês nos Encontros de Cinema de Viana do Castelo.

O Filme da Minha Vida faz-se do repto lançado pela Ao Norte a autores portugueses de BD para que criem um mini-álbum inspirado num filme que tenha deixado marcas nas suas vidas.Este cruzamento entre a sétima e nona arte é vocacionado para os amantes de ambas e, principalmente, dirigida aos jovens que frequentam o ensino secundário e superior. Cada álbum inclui 32 pranchas a preto e branco, um texto de análise, uma biografia do autor e a filmografia do realizador escolhido. A colecção é dirigida pelo artista plástico Tiago Manuel e tem design gráfico de Luís Mendonça.

Deixe um comentário

Filed under acervo da bedeteca, acontecimentos, bd portuguesa, outros media

BDesign

o-design-que-o-design-capa_grande

Não é sobre BD mas Mário Moura, além de ter sido autor de BD e crítico no passado, neste livro não deixa de fazer referências e escrever de forma crítica sobre os trabalhos de Marco Mendes, Lyonel FeiningerChris Ware e… Paulo D’Cantos, como ainda de “photobooks” para crianças.

Um boa edição da Orfeu Negro, como sempre que diz: Especialista por excelência no fabrico de identidades, o design é uma disciplina fundamental do nosso quotidiano. No entanto, a reflexão crítica sobre a sua própria identidade não é abundante. Nos doze ensaios que compõem este livro, Mário Moura convoca a crítica do design para analisar os seus impensados e a cultura contemporânea, à semelhança da melhor tradição da crítica literária e da crítica de arte. Com várias incursões pela literatura, política, história, geografia e pelo cinema, o autor desmonta o património discursivo do design e demonstra como este é formado e reformado por conceitos de raça, classe, género, autoria e periferia, entre outros.

Deixe um comentário

Filed under acervo da bedeteca, outros media, referência