Category Archives: referência

250 Lisboas

saraiva

Inaugura dia 19 de Junho, às 18h, a exposição As Lisboas de Nuno Saraiva na Galeria Santa Maria Maior (na Rua Da Madalena, 147). Entrada Livre até 27 de Julho no horário de 2ªFeira a Sábado, das 14h às 18h.

São as Festas e Troféus das Marchas para a EGEAC, os cartazes de Arraiais, Rondas das tascas, guias ilustrados e concursos de fado para a Associação Renovar a Mouraria, os mapas ilustrados para a Universidade Nova de Lisboa/IELT, as inúmeras ilustrações com o apoio do Museu do Fado para o Museu de Santo António e outras tantas para o serviço educativo do Castelo S.Jorge, os desenhos para produtos como Ginja Lisboa ou Ginja sem Rival, as imagens para marcas de jogos como a Mebo Games ou a Nerd Monkeys, colaborações na editora Tugaland e nos jornais Público, Sol ou Time Out Lisboa, campanhas publicitárias como Lisboa na Boa e as aventuras em t-shirts do Bairro do Tareco e em azulejos da City of All. 

À volta de todas estas Lisboas, todos originais e seus desenhos preliminares expostos em velhas molduras, umas oferecidas por amigos, outras compradas na Feira da Ladra de Lisboa. Ao todo, somando material impresso, objectos e originais, apresento aqui 250 Lisboas. E muitas outras ficaram de fora, à espera de uma próxima exposição.

Visitas guiadas pelo artista, sem marcação, Sábados 4, 6, 20 e 27 Julho, das 14h às 18h.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Filed under acontecimentos, bd portuguesa, ilustração, referência

Giro?

Algumas novidades portuguesas que não sabemos se são fixes ou não, esperemos que apareçam na Bedeteca de Lisboa para sabermos isso…

  • Mar de Aral é a nova aposta portuguesa da G.Floy Studio e Comic Heart, cujo destaque é sem dúvida o facto de termos novamente BD inédita do autor bestseller José Carlos Fernandes, mas desta vez com incríveis ilustrações de Roberto Gomes. Este álbum fez parte originalmente do projecto Black Box Stories, que era para ter sido uma colecção escrita por Fernandes e ilustradores convidados, mas que (…) Chegou apenas a sair um volume pela Devir, com o título Tratado de Umbrografia (ilustrado por Luís Henriques), em 2006. Sinopse: O voo 713 para Belize nunca chegou ao seu destino. O aparelho foi encontrado dois dias depois, nas profundezas da selva do Yucatán, perto de Uxmal, não muito danificado. Mas da tripulação e passageiros, nem rasto. Quando os peritos aeronáuticos analisaram as caixas negras do aparelho, ficaram perplexos: em vez do registo das conversações entre o avião e os controladores aéreos, as fitas continham apenas histórias insólitas e aparentemente sem nexo, narradas por uma voz arrastada e monocórdica, que não foi identificada como pertencendo a qualquer dos membros da tripulação.
  • Tangerina de Rita Alfaiate, pela Escorpião Azul que diz: Este é o capítulo que faltava no livro No Caderno da Tangerina. O mistério que envolvia a personagem principal, a Tangerina, é revelado neste livro, cujo título tem o seu nome, em homenagem a todos os incompreendidos, sejam eles adultos ou crianças.

Deixe um comentário

Filed under bd portuguesa, referência

Corto reeditado com arte!

CORTO_MALTESE_SEMPRE_UM_POUCO_MAIS_LONGE

Não ficaram pela A Balada do Mar Salgado (tal como não ficaram pela bosta 1 já houve bosta 2) e a Bedeteca de Lisboa recebeu Sempre um pouco mais longe de Hugo Pratt (1928-95). Edição a preto e branco! Excelente!

Sinopse: Corto Maltese alarga o seu périplo tropical à selva sul e centro-americana e às ilhas caribenhas. Vudu e política, golpes e repúblicas de bananas, escravatura, mulheres belas e misteriosas, a duradoura miragem do Eldorado, são alguns dos cenários e dos meandros das aventuras deste herói singular, independente e livre, imbuído de um certeiro instinto de justiça. Na extraordinária elegia que é A Lagoa dos Bons Sonhos, o fim próximo da I Guerra Mundial é pretexto para uma meditação melancólica sobre os sonhos de glória.

Deixe um comentário

Filed under acervo da bedeteca, bd estrangeira, referência

Kuvittaja

61742041_2435155623185878_2772500732161556480_n

A Bedeteca de Lisboa recebe trimestralmente a revista Kuvittaja da Associação Finlandesa de Ilustradores – a mesma que trouxe ao Palácio Galveias em 2008 a bela exposição Truth or Tales. Não percebemos pevas de “suomi” o que nos deixa chateados porque se há uma coisa que se percebe logo com esta publicação é que os finlandeses tem ilustradores com muita boa qualidade. Só pelas imagens vale a pena folhear esta bela revista para ilustradores que querem estar actualizados… visualmente!

1 Comentário

Filed under acervo da bedeteca, ilustração, press center, referência

1001 Banda Desenhadas que tens de ler antes de morrer (Pré-anos 30)

P_20190531_162916_vHDR_Auto

A Bedeteca de Lisboa vai fazer de quinze em quinze dias um novo destaque bibliográfico até ao final do ano baseado em 1001 Comics You Must Read Before You Die. Dizem: (…) Coordenado pelo investigador inglês Paul Gravett – que visitou a Bedeteca de Lisboa em 1998 – trata-se de uma listagem que identifica as melhores Bandas Desenhadas do mundo, dividindo-as ao longo das décadas. Um trabalho hercúleo que obteve a ajuda de vários especialistas espalhados pelo mundo, incluindo dois portugueses, Domingos Isabelinho e Pedro Moura.

Este exercício de mostrar as 1001 obras sugeridas por este guia, revela as fragilidades e as forças do acervo da Bedeteca de Lisboa, sendo impossível mostrá-las todas porque algumas estão esgotadas há décadas, ou porque não existe edição portuguesa ou em línguas mais acessíveis para o nosso público. Ou porque pura e simplesmente não as temos…

P_20190531_162925_vHDR_Auto

Começamos pela produção anterior à década de 30 do século XX. É impossível mostrar tudo o que é aconselhado, assumimos esse carácter incompleto e propomos outras edições complementares, como Dot & Dash de Cliff Sterrett (1883-1964), um “topper” [i] da recomendada série Polly and Her Pals (1912), publicado numa bela edição da Libri Impressi. Como no passado a Bedeteca de Lisboa também criou bibliografia, também fazemos sugestões alternativas:

– O catálogo da exposição A Banda Desenhada Norte-Americana Antes do Yellow Kid (Bedeteca de Lisboa, 1996) comissariada por Carlos Bandeiras Pinheiro, que destrói o mito cerimonial da criação da BD através da série Yellow Kid (1896) de Richard F. Outcault (1863-1928);

Apontamentos sobre a picaresca viagem do Imperador de Rasilb pela Europa (1872; reed.: Bedeteca de Lisboa, 1996) de Raphael Bordallo Pinheiro (1816-1905) que é considerada a primeira BD portuguesa;

No Lazareto (Empreza Literária Luso-Brazileira, 1881 – reed.: Frenesi, 2003) também de Pinheiro, é das primeiras obras autobiográficas na BD, um documento sobre a quarentena de quem vinha dos trópicos, denunciador da burocracia e corrupção latina e graficamente hilariante como só RBP sabia fazer.

[i] Uma BD no topo de outra mais importante na página dominical do jornal norte-americano

Deixe um comentário

Filed under acervo da bedeteca, bd estrangeira, bd portuguesa, referência

Punks a darem-nos música!

60694190_2583064138387979_4897098183068352512_n.jpg

Os verdadeiros punks são mais rápidos: A Zerowork Records apoiou a edição do CD Music for Antropomorphics dos brasileiros Mechanics, trabalho sinérgico que acompanha o livro de BD Música para Antropomorfos, de Fábio Zimbres, obras de 2006 agora publicadas em Portugal pela Chili Com Carne.

Fábio Zimbres é um artista gráfico único no Brasil e mais outro pedaço do Mundo bem grande, editor omnisciente, foi ele o responsável pela revista ANIMAL : FEIO, FORTE, FORMAL – distribuida em Portugal permitindo aos portugueses ter um contacto com séries memoráveis como RanXerox, Love & Rockets, Tank Girl, Peter Pank e muitos mais, incluindo resenhas do João Gordo dos Ratos de Porão!!

O autor vai estar presente de 31 de Maio a 2 de Junho no Festival de BD de BejaAMANHàé dia oficial do lançamento com conversa com o autor às 15h30. Fostes avisado!

(…) podes comprar o livro, a 15 paus (…) sendo que o CD está limitado a 300 cópias.

Deixe um comentário

Filed under bd estrangeira, referência

Membro recusado

recusado

“Trabalho Recusado” (2018-19) de Gonçalo Pena

Segundo o jornal Público: Patrocinador da ARCO recusou expor desenho de Gonçalo Pena [que fazia o fanzine Cona da Mão, lembram-se?]Conteúdo sexual da obra não agradou às Cervezas Alhambra, que patrocinam a feira de arte contemporânea. Artistas e curadores acabaram por se retirar do projecto organizado pela marca espanhola em Lisboa. O evento foi cancelado na véspera da abertura ARCOlisboa.

Estranho, quando é o consumo de cervejas a principal fonte que proporciona a mostra de genitais em público, deboche e violação sexual, palavrões e gestos obscenos… Sabem que mais? Boicota Alhambra!

Deixe um comentário

Filed under outros media, referência