Category Archives: referência

Berliac é bom!

BERLIAC_Yang Yang_cover.jpg

Chegou à Bedeteca de Lisboa o “chapbook” Lembras-te do Yang Yang? do Berliac, que visitou Lisboa, esta semana, na Valsa, graças à iniciativa PEQUENO é bom!

Como escrevemos há dias: A Associação Chili Com Carne tem pequenos (!) episódios de hipocrisia mas do mal o menos. O regresso aos “encontros sobre edição independente” PEQUENO é bom! em nova fórmula já foi tentada o ano passado com a conversa com o havaiano / norte-americano Aaron $hunga no Bar Irreal, e repetem a fórmula trazendo o argentino Berliac. Para o trazerem fizeram um “crowdfunding” sem o usarem o termo, que engraçadinhos!

Copy/ Paste da Chili: Diz um antigo provérbio grego que as coisas boas vêm em doses pequenas. Foi com tal sabedoria em mente que a Chili Com Carne promoveu os encontros mensais PEQUENO é BOM! em tempos idos de 2010. O objectivo era divulgar a edição independente junto do público português – essas “coisas pequenas” que circulam por aí, longe do olho público: zines, CD-R’s, k7’s, vinil, graphzines, livros de autor, etc… Agora, queremos retomar o PEQUENO é bom! para uma segunda temporada. Achamos que é saudável que artistas e público se encontrem num ambiente relaxado, fora dos grandes festivais e eventos não propícios a um tipo de conversa mais intimista. A nossa primeira escolha é o Berliac-sensei (Playground, SADBØI, Seinen Crap), autor argentino, residente em Cracóvia, de neo-gekiga que todos os miúdos fixes querem conhecer.

MAS… mas… mas… (…) Não há almoços grátis nem BDs à pala! Então para pagar os custos da viagem e estadia deste autor será publicado um zine que compila três pequenas histórias em Português, publicadas na revista Vice, intitulado Lembras-te do Yang Yang?Com tradução da Hetamoé, a tiragem será limitada a 30 exemplares. Serão assinados, numerados e personalizados pelo artista.

Curiosamente este exemplar na Bedeteca não está assinado. Sobras da tiragem? Um bootleg?

Anúncios

Deixe um comentário

Filed under acervo da bedeteca, acontecimentos, bd estrangeira, referência

Este fds

image_content_1655605_20180806221408

Entre 11 e 14 de Outubro acontece a primeira edição de Drawing Room na Sociedade Nacional de Belas Artes, Lisboa.

FF_2018_Cartaz_Logos

Entre 12 e 14 de Outubro é mais uma edição do Fórum Fantástico, que inclui alguma programação sobre BD – este ano com uma homenagem aos 25 anos de Filipe Seems. Como sempre na Biblioteca Orlando Ribeiro.

Deixe um comentário

Filed under acontecimentos, referência

Quinta do Esboço

349351199443426d8d3d9a257147d074Depois de nos queixarmos que os livros de referência na Bedeteca de Lisboa escasseiam, eis que nesta Quinta-Feira das Novidades apareceram uma série de livros de esboços de autores de BD.

Nem tudo é bom, claro, mas é interessante consultar alguns livros de velhos mestres da BD norte-americanos como Wally Wood ou Al Williamson, ou autores mais “novos” como John Totleben (imagem) ou Paul Mavrides.

Especialmente os livros da editora Vanguard tem mais interesse porque inclui entrevistas aos autores. Podia ser melhor para esta biblioteca que fez 22 anos há seis meses atrás…

Deixe um comentário

Filed under acervo da bedeteca, referência

Capas

955fbe69-6a5c-448d-98aa-7661bad87761

Link: Menina e Moça … Rui Garrido foi um dos excelentes designers da revista Quadrado (3ª série).

Deixe um comentário

Filed under acontecimentos, outros media, referência

Antílope

ANTILOPE1B.jpg.pagespeed.ce.bje_DzyiNF

Chegou à Bedeteca de Lisboa o número dois da revista brasileira de BD Antílope mostrando que para aqueles lados também há BD artística com uma forte lista de colaboradores como Amanda Baeza, Dash Shaw, Jason, Nik Neves ou Simon Hanselmann,… Destaque para os artigos teóricos e a entrevista muito interessante ao Chester Brown.

metropoles_taiskoshino_ZIP_04-209x300E Ainda ontem é mais exemplo dessa nova produção brasileira, de autoria de Taís Koshino – já publicada em Portugal no Lisboa é very very typical -, que foi a obra vencedora do concurso promovida pela Des.Gráfica.

(…) Feito de grandes painéis que trabalham texturas e grafismos, o livro explora diferentes tipos de delicadezas, com uma poética cheia de estranhamentos, reminiscências e intimidades. Novamente a sexualidade feminina vem à frente, assim como uma bem lacônica história de amor entre duas garotas. (…)

Deixe um comentário

Filed under acervo da bedeteca, bd estrangeira, bd portuguesa, referência, zines

Quinta do Jason

20caaeb9c1cc4c56b30fef8477357e3aFinalmente a Bedeteca de Lisboa recebe um livro do norueguês Jason – ele só existia no acervo da Bedeteca com as suas participações em antologias como a BlekkComix 2000 e Gare du Nord.

Curiosamente este Pocket Full of Rain é uma colectânea de histórias curtas do autor, dos anos 90, ou seja o seu inicio de carreira, antes de ser conhecido pela sua “linha clara” com antropomorfos deprimidos. Ainda assim não deixa de ser interessante e com bons momentos.

Santa Quinta-Feira das novidades na Bedeteca!

Deixe um comentário

Filed under acervo da bedeteca, bd estrangeira, referência

Cercando o desenho e a ilustração

amaral chuis_destaques_G

Duas exposições na Casa da Cerca inauguram este Sábado, às 15h30.

Uma de Desenho pela Ar.Co. intitulada Uma Pequena História da Linha. Seleção de Desenhos da Colecção do Ar.Co com artistas como Alexandre Conefrey, Ana Hatherly, Ana Jotta, Daniel Lima, Jorge Nesbitt, Mattia Denisse, Sara & André, entre outros… No seu 25.º aniversário a Casa da Cerca, desafiou o Ar.Co a mostrar aqui uma parte da sua colecção de desenho. Uma colecção que é feita de afectos, de histórias pessoais, de relações. Reunindo um conjunto de 28 artistas, provindos de diferentes universos e com estatutos muito diferentes no mercado da arte, a exposição faz uma pequena história da escola que é também, na sua diversidade, uma pequena história da linha.

Uma outra de Ilustração, organizada por Jorge Silva, intitulada A luta continua! 140 anos de Ilustração Portuguesa (imagem). A Ilustração parece ser arte amável, mais dada à metáfora e à erudição, e montra recatada do talento gráfico do artista, sem gritar ou conspirar na rua. O trabalho duro parece sobrar para os parentes de mau feitio congénito, como o cartune e a caricatura. E no entanto, ao longo dos tempos, muita revolução, muita luta, mesmo surda ou cínica, contra ismos e tiranos, se forjou também na ilustração de livros, cartazes e jornais, militante de causas e sonhos. (…) Esta mostra sintética passeia-se por 140 anos deste pedaço das artes visuais portuguesas (…) com trabalhos de Alice Geirinhas, André Ruivo, Dorindo Carvalho, Ferreira da Silva, Henrique Manuel, Henrique Ruivo, João Abel Manta, João da Câmara Leme, João Fazenda, João Fonte Santa, João Pedroso, José Vilhena, Manuel Macedo, Manuel Paula, Manuel Ribeiro de Pavia, Oficina Arara, Pedro Cabral, Pedro Zamith, Rogério Ribeiro, Sílvia Rodrigues, Stuart de Carvalhais, Tiago Manuel, Tom e Tóssan.

Deixe um comentário

Filed under acontecimentos, ilustração, outros media, referência