Category Archives: silly season

Lisboa a três vinténs

Expo tres vintens_01

A Três Vinténs é o título principal desta exposição. Uma antiga gíria que se referia ao preço barato que custava cada fascículo, onde se publicavam faseadamente, por entregas semanais, romances de cariz popular protagonizados por corsários, detectives, gangsters, ladrões famosos e outras personagens capazes de fascinar os leitores. Constituíram uma forma de publicação popular surgida na segunda metade do século XIX nos EUA, que se expandiu para a Europa.

Em Portugal foram editados os primeiros fascículos a partir de 1909, graças aos quais se popularizaram os nomes de Arsénio Lupin (Arsène Lupin), Capitão Morgan, Texas Jack, Nick Carter, Búfalo Bill, a que se juntaram personagens da autoria de escritores portugueses, designadamente Repórter X de Reinaldo Ferreira, e Dynamite Joe de Roussado Pinto. É a amostragem minuciosa de exemplares destes fascículos que constitui o escopo da exposição A Três Vinténs – 100 Anos de Fascículos de Aventuras em Portugal, visitável na Biblioteca Nacional, até 14 de Setembro deste ano, e co-organizada pelo Clube Português de Banda Desenhada.

Anúncios

Deixe um comentário

Filed under outros media, referência, silly season

Gisele contra o oligopólio

porto.png

Segundo o Público a tempestade “Gisele” destruiu o telhado da gráfica da Porto Editora. Podíamos comentar muito sobre esta notícia: sobre a arquitectura portuguesa, sobre a construção civil nacional, a injustiça que seja o proletariado a ser ferido pelos danos invés dos quadros administrativos ou do Rui Zink (por exemplo!) que publica nesta editora, enfim, tanta coisa… mas ficamos assim: sem comentários!

Deixe um comentário

Filed under mercado, silly season

Sugestão de presente de Natalixo (2)

thumbnail_Calcetines Cha-Chá

Peúgas “Rubber Mask” e “Eurosushi”

Queremos isto! Geralmente no “natalixo” oferecem-se peúgas porque não se sabe o que dar a alguém conhecido. Mas agora esse paradigma poderá mudar para sempre graças a estas peúgas da The Original Cha-Chá (loja de “merch” situada em Madrid) desenhadas por Miguel Angel Martin!

Não percebemos porque homens de barba rija gastam centenas, senão milhares, de Euros em bonecos de plástico, estatuetas e outros brinquedos. Ou pior ainda, em vestidos para encarnarem personagem de BD em encontros públicos. Vejamos lá bem, peúgas são úteis! Aquecem os pés, evitam constipações e deformações físicas nos membros inferiores. Vestir de “Stormtrooper” além de ser infantil, promove militarismo e o fascismo. Este Natal ofereça peúgas, sff.

Deixe um comentário

Filed under mercado, silly season

«Um mero supermercado onde os consumidores vão procurar o produto mais barato possível»

A-Biblioteca-a-Noite

Quem o diz é Will Eisner questionado sobre a utilidade da Web enquanto ferramenta criativa. Esta é a única referência de alguma forma ligada à BD no belíssimo livro A Biblioteca à Noite de Alberto Manguel.

Eis a distopia pensada em Reinventing Comics e na altura bastante criticada e prevendo estas palavras de Eisner. E damos por fechada a “silly season” deste ano!

Deixe um comentário

Filed under acervo da bedeteca, e-comix, outros media, silly season

Quinta do Western Spaghetti

402b71eb138d408f84528ce839ca8e36

Caramba, é “silly season” e a Bedeteca de Lisboa adivinhou a leitura perfeita para esta época. Veio nas Novidades de Quinta-Feira, ou seja, quando chega material novo à Bedeteca. Cuttlas : El Pistolero Molecular de Calpurnio é que é um western à séria, não é como aquelas mariquices do Tex. Aqui sim há gajos maus como as cobras, homens de barba rija, índios à fartazana para serem massacrados, donzelas virgens e… Kraftwerk!

Série criada em 1983 percorreu toda a nata de publicações espanholas, de revistas de BD como a Makoki ou El Víbora como jornais e revistas. Em Portugal só o conhecemos porque vinha na mítica revista brasileira de BD Animal. Com tanta espanholada chata que se edita por aí quando é que publicam esta belezinha?

Deixe um comentário

Filed under acervo da bedeteca, bd estrangeira, silly season

Caso De Direito Galáctico

1485797125_MS1DPfvi5yJVATijNF3

A E-Primatur está a fazer um excelente trabalho de recolha da obra de Mário-Henrique Leiria mas… no caso das Banda Desenhadas escritas pelo autor e desenhadas por Isabel Lobinho é que se portam mal porque na ficha técnica declaram que caso haja herdeiros do autor estes podem reclamar direitos de autor sobre a reedição da sua obra mas nada é dito sobre as páginas em parceria com a Lobinho, sinal óbvio da eterna falta de respeito pela BD ou no que respeita a tudo que seja matéria de desenho em geral. Portugal é um país de poetas dizem. Que seja mas serão sempre poetas ceguinhos! Ainda assim, a reprodução de Mário e Isabel está muito boa mesmo quando reduzida num formato mais pequeno que o álbum original.

Sobre o livro este é o primeiro de 3 volumes que reunirão a obra completa do génio do surrealismo português. Este volume recolhe a ficção completa de Mário-Henrique Leiria, incluindo diversos textos inéditos e outros nunca antes compilados em livro. Coligem-se os volumes míticos: Contos do Gin-Tonic e Novos Contos do Gin juntamente com outros contos dispersos e inéditos, uma novela, teatro, guiões e uma banda desenhada.

A edição foi preparada pela Professora Tania Martuscelli (Universidade do Colorado/ Boulder), a maior especialista na obra de Mário-Henrique Leiria, que recolheu todos os textos constantes do espólio do autor e em vários outros materiais dispersos.

Deixe um comentário

Filed under bd portuguesa, silly season

Quinta de Cancún

AF_NOVELAS_GRAFICAS_2016_15

Nesta Quinta-Feira das Novidades na Bedeteca de Lisboa eis que chega Os Exércitos do Conquistadorde Jean-Pierre Dionnet (a) e Jean-Claude Gal (d), álbum de BD lançado o ano passado na colecção da Novela Gráfica, chegou agora à Bedeteca e vamos ler agora porque parece-nos um livro perfeito para ler na piscina (já que a edição francesa só pode ser consultado). Do tipo, desenhos espectaculares e conteúdo nulo para quem quer torrar com o sol.

Deixamos a divertida sinopse: uma obra que subverte as regras das histórias de Sword and Sorcery, introduzindo um toque existencialista tipicamente francês [LOL]. Naqueles tempos, os exércitos do Conquistador puseram-se em marcha para conquistar o mundo… Não se sabia quem eram, nem de onde vinham. Só se sabia que, um dia acabariam por chegar. Às vezes paravam o seu avanço, outras vezes até retrocediam, mas acabavam sempre por voltar [pois, é o que acontece quando se retrocede!]… E os derrotados passavam a engrossar as suas fileiras. [oh lá lá]

Amanhã saí mais um “no brainer” na colecção da Novela Gráfica deste ano… havemos de o ler na Bedeteca nas férias de 2018!

Deixe um comentário

Filed under acervo da bedeteca, bd estrangeira, silly season